Quinta-feira, 14 de Fevereiro de 2013

quilómetros.

  As pessoas costumam dizer que só damos valor às coisas quando as perdemos, e sabes, cada vez dou mais razão a isso.. Sempre te tive como garantida, como alguém que ia estar sempre lá quando eu precisasse, e por vezes não te dava a atenção que merecias. Arrependo-me. Arrependo-me tanto das atitudes que tive e até das que não tive. Deveria ter estado mais do teu lado, deveria ter impedido que te fosses embora, deveria ter feito algo... Sei que continuamos a ter a mesma amizade e que o sentimento não mudou, apesar dos quilómetros que nos separam, e é assim, que apesar de todos os meus erros, sei que tenho alguém verdadeiro do meu lado.

  Adoro quando me ligas a contar todas as tuas novidades, todas as peripécias que te acontecem e que por mais absurdas que possam parecer, são as tipicas coisas que só podiam acontecer a alguém como tu. Adoro quando nos pomos a deprimir e a recordar os velhos tempos. Adoro quando falas no futuro e de como vamos manter esta amizade. Adoro. Adoro. Adoro(-te).

  Vá, cá estou eu a deprimir e a pensar na quantidade de saudades que tenho tuas, mas não te preocupes, isto já passa. E caso estejas a ler isto, nunca deixes de ser a pessoa que és e de ter essa loucura tão tua!

 

Gosto mesmo muito de ti e morro de saudades!

«alma gémea partida aos bocadinhos»

publicado por Cris. às 21:44
link do post | comentar | favorito
14 comentários:
De Jessica a 17 de Fevereiro de 2013 às 00:45
É que é mesmo mesmo mesmo verdade :/
De Fii a 17 de Fevereiro de 2013 às 22:39
Tens razão, às vezes damos as pessoas como garantidas e não damos o devido valor.
De Isabela a 18 de Fevereiro de 2013 às 21:52
É uma música bem antiga, mas eu adoro-a!
De inês silva- a 18 de Fevereiro de 2013 às 22:44
sim, acho que também vou gostar, mas como é que foi? correu bem a primeira "aula"? e obrigada :) 

Comentar post

PerfilxAdicionar

It's a Wild World

cristina. dezassete. açores.
“Às vezes a realidade apenas traz dores desnecessárias,
felizes são os que vivem no mundo da lua.”